fbpx

Ducha Oriental – O que é e como usar?

A ducha oriental é uma prática muito comum em diversos países, e mais famosa aqui no Brasil pelo que chega para nós do Japão. Apesar do Ofurô ser a primeira técnica a vir na mente quando se trata do assunto, e do banho de assento também se relacionar com a temática, o que vamos falar não se trata nem de um, nem de outro: o conhecida técnica, que é realmente praticada no Japão, é o sentō.

O sentō é uma prática de séculos nas terras japonesas. Para sermos mais específicos, esses lugares têm registros de sua existência desde o século VI, e teria vindo com muitas das práticas budistas as nipônicas.Inicialmente, esses lugares eram realmente reservados aos monges, já que eram parte de seus templos.

Hoje em dia, essas práticas se tornaram apenas públicas, como são parte da cultura japonesa, e são muito regulares até em algumas saunas de outros países, incluindo o Brasil. A ducha oriental, mais do que uma forma secular de se banhar, guarda uma série de detalhes que podem tornar seu relaxamento e até postura, muito mais tranquilas e eficientes.

Veja como ela é praticada, suas regras, e como tirar os melhores benefícios.

Uma rápida história sobre a Ducha Oriental

Como vimos mais acima, a prática de banhos em grandes salas existem há mais de 1000 anos no Japão, e até hoje também é parte da cultura monástica dessas figuras. Além dos banhos em si, essas áreas eram reservadas para lavar as estátuas dos templos;

Agora, como elas se tornaram uma prática cultural, e pública? Apenas no século XII que as casas de banho budistas passaram a ser abertas ao público, e em pouco tempo passaram a existir casas específicas para esse fim, à parte do aspecto religioso. Aqui, as salas de banho eram privadas e individuais.

O sentō passou a ficar amplamente popular no período Tokugawa. Nesse período, as versões individuais foram proibidas, devido aos riscos de incêndio, já que essas casas seguiam a arquitetura padrão japonesa da época, em madeira. Aqui entram não apenas as salas coletivas, como também os onsen, as fontes termais que são bem conhecidas do público estrangeiro.

Apesar da Era Edo ter diminuído um pouco as quantidade de novas casas de banho públicas, a prática não foi deixada de lado, tornando-se um do s pontos mais importantes para relaxamento e até como uma valorização cultural. As casas de banho existem em todo Japão, não restringindo-se aos grandes centros.

Como é hoje e características marcantes

Se tem uma coisa que os japoneses valorizam, são suas tradições. Não, não se limite apenas ao que vê em lugares como Osaka ou Tóquio. As casas de banho são muito tradicionais até hoje, e são bem separadas também. Existem tanto os sentō, que funciona como a ducha oriental que já estamos acostumados por aqui, como os onsen, que são as fontes termais em balneários, como seguem as tradições mais antigas.

O costume destes lugares se tornou tão popular, que a prática de tomar banho sentado, com um chuveiro ou balde, à frente de um espelho, também é comum nos lares japoneses, com suas devidas adaptações. Casas um pouco maiores possuem divisões distintas entre o pré-banho, a banheira, e o local para se secar e se trocar. Os cuidados antissépticos são muito valorizados entre os japoneses.

Em ambos os casos, as regras mais tradicionais e de cuidados se mantém intactas. Inclusive, parte delas são aplicadas nas saunas ocidentais, com suas devidas adaptações à realidade destes lugares. Por lá, os locais são bem separados para homens e mulheres, com espaços bem distintos.

Quanto às regras de etiqueta, vamos deixar mais para frente, para que fique bem claro aos rapazes que desejam aplicar a ducha oriental ao invés das saunas como meios para relaxar. De uma forma geral, ambos os lugares possuem regras e cuidados similares a uma sauna. E na real, ambos são essencialmente a mesma coisa.

O que difere uma ducha oriental de uma sessão de sauna é a forma com que a técnica é aplicada, parte de suas regras de uso, e principalmente a educação com que se mantém no lugar. Se bem feito, os benefícios são tão relaxantes e prazerosos que se torna parte do seu dia a dia. Daí você entende a popularidade desses lugares no Japão.

Como usar a ducha oriental? E quais as regras de etiqueta?

spa-well-being-infografico-ducha-oriental-o-que-e-para-que-serve

Mais do que tradicionalismo, as regras de etiqueta em uma ducha oriental são um meio de manter o local higienizado, e por consequência a sua segurança também. Mas vamos começar do início, para não preocupado. Enquanto os japoneses possuem áreas distintas para homens e mulheres, separados em cores e kanjis, a ducha oriental por aqui é parte de outros serviços de um spa ou uma sauna mesmo. E exclusiva para homens ou para mulheres.

Vamos começar.

  1. Em uma sala para trocar de roupas, deixe sua indumentária no compartimento de acordo. Isso inclui joias e cordoes também. Certifique-se de que está com sua própria toalha; caso não, é necessário alugar uma no próprio local.
  2. Você pode ir apenas com a toalha, para cobrir suas partes, e nada além disso. Pode ser desconfortante a princípio, mas trata-se de um ambiente sossegado. Trata-se de uma ducha, o que não faria sentido ir com algum tipo de roupa, certo?
  3. Na sala de uma ducha oriental, existem uma série de banquinhos, bem alinhados à frente de espelhos. Sente-se em um deles, e com os itens disponíveis para o banho, lave-se e enxágue-se no espelho. Já já te explicamos por que não se deve levantar durante a ducha oriental.
  4. Terminado o processo, você pode tanto se secar e finalizar a ducha, como ir para um fonte termal, para um relaxamento, e só então se secar.

Esse é o procedimento básico e padrão na maior parte de spas e casas de banho em geral, com uma diferença aqui e ali entre os lugares. E é aí que entram as questões de etiqueta: apesar de todos os lugares seguirem diretrizes gerais, como a que vimos até aqui, cada lugar possui suas particularidades.

Para ilustrar melhor essa questão, separamos algumas desses pontos aqui. A ideia não é só respeitar o lugar como se deve – afinal é uma tradição antiga, certo? – como não dar vexame em lugares com mais pessoas. Mas antes, vamos à regra primordial: toda água em uma ducha oriental deve ser preservada e bem cuidada. Isso vale desde a reservada para o seu banho, como o descanso na banheira, e utilizada para se enxaguar.

Agora sim, com isso bem definido, vamos delimitar essas questões de etiqueta de forma mais direta.

  • Não vá com roupas íntimas para o local. Além de trazer os microrganismos exteriores ao local, o que por si só é uma atitude anti-higiênica, ela não condiz com os preceitos da ducha oriental.
  • Ao se banhar na frente do espelho, faça-o sentado no banquinho. O processo foi pensado de forma ergométrica, logo não vai lhe causar desconforto. Além disso, tomar uma ducha oriental de pé é igualmente desrespeitoso e constrangedor, a si mesmo e aos demais presentes;
  • Caso tenha o cabelo comprido, prenda-o para que não toque na água da banheira termal. Da mesma forma, ao entrar nela, não encoste a toalha na água, nem mergulhe. Vai ser bem difícil em um ambiente com média de 35º a 40º, além de ser uma atitude também desrespeitosa;
  • Não corra dentro do recinto para a banheira. Eu sei que tem muito marmanjo lendo esse post, e não teria uma ideia dessas, mas é sempre bom avisar, sobretudo caso leve filhos;
  • E só para reiterar, não leve nenhuma roupa para dentro da sala de ducha oriental, nem mesmo para lavar as peças. Isto deve ser reservado para ambientes de acordo;
  • Não fale alto e nem grite nesses lugares. É uma falta de educação, além de perturbar a quietude dos outros usuários. Lembre-se que é um lugar para relaxar, não para brincadeiras, não custa avisar;
  • Ao sair da banheira, seque-se bem no local de acordo para isso. Não o faça na saída da sala, pois é perigoso para os outros usuários da ducha oriental que vão fazê-lo depois. Também não é preciso exagerar na dose na hora de se secar: um dos objetivos da ducha oriental é renovar o corpo através das fontes termais,ficar relaxado com elas. Se você se seca com muita intensidade, acaba retirando as propriedades curativas da pele e o efeito não é tão positivo.

Com tantas regras, usar uma ducha oriental parece meio intimidador de primeira, mas não esquente com isso. É para o seu próprio bem, e só tem a ganhar em sua saúde e bem estar. Por falar neles… Dá uma olhada nesses benefícios com a ducha oriental.

Os benefícios da Ducha Oriental

Os benefícios de uma ducha oriental com frequência são bem similares aos de uma sauna a vapor. Contudo, as técnicas e o ambiente no qual ficamos submetidos para esse relaxamento oferece outros tantos que fazem seu investimento ainda mais valioso. Ao virar sócio de um bom spa, você pode alternar bem entre os ambientes.

Vejamos os benefícios que as duchas orientais oferecem. para você que ficou interessado.

Maior relaxamento – É o efeito imediato para quem vai a uma ducha oriental. Pelo tempo separado para uma sessão, que vai desde o banho no banquinho até a banheira, e por fim se secar, os efeitos calmantes que as águas termais oferecem, é possível tirar todo o estresse e tensão muscular do dia a dia. Aqui não nem mesmo aplicação de outros itens além da água quente. O tempo ideal para tanto não passa de 20 minutos.

Potencializa a circulação – Com a água quente, nosso corpo se agita naturalmente, dilatando os vasos sanguíneos. Com a prática frequente, isso promove uma circulação mais fluida do sangue, o que por consequência causa mais agilidade ao corpo, prevenção de doenças ligadas a pressão alta, além do relaxamento já destacado antes.

Articulações mais resistentes – Para quem realiza atividades físicas com frequência, ou quem fica muitas horas em pé, enfim, para qualquer um que faz uso das articulações com frequência, e sofre de efeitos como a tendinite, por exemplo, a ducha oriental age tanto como antiinflamatório, como relaxante também. Para quem precisa de um pouco mais de repouso nessas regiões, a ducha oriental é um ótimo tratamento.

Cuidados importantes a se tomar

Os benefícios de uma ducha oriental são ótimos, não é? MAs para que tire proveito de verdade desses ambientes controlados, também são necessários alguns cuidados, mais até do que as questões de etiqueta que mencionamos acima. Para que tire o melhor proveito do lugar, vamos listar algumas delas para você.

  • Esteja bem hidratado antes de fazer a ducha oriental. Trata-se de um ambiente quente, logo você vai perder líquido. Beber bastante água antes do processo o torna mais tranquilo. Da mesma forma, evite diuréticos e bebidas alcoólicas. Evite comer muito também, para não gerar náuseas durante o processo;
  • Assim como nas saunas a vapor, evite objetos metálicos durante o procedimento. Itens de valor podem ser guardados em armários de acordo. Além do risco de danificar aparelhos e itens, você pode se queimar gravemente com esses itens no corpo;
  • Por questões higiênicas, separe bem a água para se lavar de primeira, e a utilizada para se enxaguar antes de ir para a banheira. Vai tornar o processo mais sossegado e saudável para você,e mais ainda para o local;
  • Tome cuidado ao sair da banheira para se secar. Como o corpo está muito relaxado devido a alta temperatura, a pressão cai rapidamente. Levante-se devagar, e saia no mesmo ritmo da banheira. Isso também vai evitar que escorregue no piso molhado do local.

E não se esqueça de se hidratar bem após as sessões de ducha oriental. Os efeitos revigorantes serão firmados, você estará bem de saúde, e de quebra ainda pode aproveitar o restante do dia como quiser depois. Por isso é legal buscar um spa que oferece tal opção: com um ambiente que convida ao descanso, uma ducha oriental pode ser apenas a primeira parte de um processo perfeito. Confira como com a gente. Até a próxima!

2018-11-29T17:53:45-03:00

Sobre Nós

Acreditamos que todo homem mereça ter um momento de relaxamento e revitalização ao longo da semana. Por isso, criamos o SPA urbano para homens com ambiente estritamente familiar e tradições orientais.