Tudo o que Você Precisa Saber Sobre o Estresse

É comum ouvir alguém reclamar sobre o estresse, não é? Isso quando nós somos nós os chiadores de ouvidos alheios. Infelizmente, é algo que faz parte do cotidiano de muita gente, principalmente, e hoje em dia é ainda pior: tudo anda mais corrido, a pressão é maior e constante, e não é por acaso que a cabeça ande mais quente, a ponto de explodir.

O que muitos não sabem, contudo, é que esse estresse pesado causa uma série de problemas de saúde. Queda de cabelo e perda completa do humor são os mais brandos, enquanto problemas cardíacos e de circulação sanguínea são alguns dos mais perigosos a se permitir. Saber do que se trata, de fato, o estresse, e buscar as saídas necessárias, é o primeiro passo para ficar tranquilizado.

Basicamente, o estresse é um conjunto de reações fisiológicas que normalmente ocorrem quando existe a necessidade de adaptação de forma extrema, ou em situações importantes.

As reações são muito parecidas com situações de perigo extremo, em que o corpo libera uma série de hormônios que nos ajudam a tomar ações mais condizentes com o momento, exceto pelo fato de que não estamos realmente nestas situações. Logo o corpo fica expostos e despreparado para uma carga de energia tão forte.

O estresse, curiosamente, é um processo normal do organismo, e se bem compreendido e controlado, pode até ajudar na produtividade no dia a dia. Então problema do estresse? O problema começa quando ele se torna excessivo e disparado descontroladamente, prejudicando seu organismo com o tempo, e abrindo portas para doenças cardiovasculares e interferir na sua qualidade de vida.

Para que não acabe com todas essas questões e aliviar o estresse, vamos lhe dar umas dicas completas e bem embasadas no assunto. A ideia é que você não apenas o elimine, como seja capaz de convertê-lo em boas energias para você. Pode até ter um pouco de “zen” aí, mas não é para tanto, pelo menos no que vamos lhe mostrar aqui.

Então chega de enrolar, vamos ao que interessa. Aliviar o estresse é uma tarefa importante para ter mais saúde, então nada mais natural do que correr atrás de acordo. E o primeiro passo é justamente saber o que causa ambos.

O que causa o estresse?

A resposta é simples: depende. Cada pessoa tem situações distintas que levam a picos de estresse. Usualmente, os estímulos que desencadeiam esse conjunto de reações fisiológicas são chamados de estressores, Então se há muitos fatores desta natureza, o problema torna-se crônico, o que pode interferir em todos os aspectos da vida e prejudicar tudo, até o que não teria nada a ver com a origem do estresse.

Para identificar a origem desses estressores, não é preciso uma análise tão técnica, embora o auxílio de um terapeuta ou psicólogo ajudem a facilitar o caminho. Saber discernir os escopos da sua vida (profissional, pessoal, afetivo e por aí vai), e então analisar cada ponto, vai facilitar sua busca por um bem estar melhor.

Voltando a parte mais “técnico-teórico”, os estressores podem ser separados em internos ou externos. Os internos estão ligados a personalidade da pessoa. Por exemplo: uma pessoa pode ser perfeccionista ou ansiosa em excesso, o que a leva a picos de estresse com mais facilidade em situações em que se sente pressionada.

Já os externos, estão ligados ao ambiente em que a pessoa vive e, muitas vezes, potencializa os fatores internos, quando não os despertam, Nesses casos, alguns exemplos de situações que podem levar a estresses excessivos são mudanças bruscas do dia a dia. tanto negativas, como o término de um relacionamento ou a demissão de um trabalho, como mudanças que podem ser para melhor, como a troca de uma casa ou os preparativos de um casamento. Isso aí, mesmo momentos bons, até que eles aconteçam de fato, tem os seus momentos de estresse.

Dá para resumir a questão dos estressores no seguinte. Tudo aquilo que esteja dentro de nós, ou que nos sejam expostos, e que não temos controle real da situação, pode levar ao estresse. Como você já deve ter percebido, não são todas as situações do tipo que nos levam a esse ponto, então cabe uma reflexão mais profunda no assunto para saber como lidar melhor com ela.

O Tamanho do Problema

Um dos motivos do estresse ter tomado a proporção perigosa dos dias atuais é a falta de relevância que o mesmo teve. Quer dizer, por ser considerado uma causa para outros problemas, suas saídas não eram tão efetivas do que se fosse considerada um efeito. E as consequências são graves justamente por isso, meu amigo: quem não dá valor ao estresse, quando não o leva a sério, só sente as consequências quando elas atacam o corpo diretamente. Por quê antes, elas já o faziam de forma silenciosa.

E eu sei que pode ter um bocado de caras aí que ainda não estão levando essa questão a tão a sério. Não vá embora ainda. Pense comigo: se o estresse não fosse tão relevante, algo que você considera “normal” por fazer parte do trabalho, da rotina, etc., por que deveria chegar ao ponto de buscar medicações e práticas para diminuí-lo? Você não faz uso de medicamentos para o dia a dia também, não é verdade?

Se o estresse compromete a manifestação da vida, acaba por comprometer também tudo o que cabe dentro da vida. Ele destrói relacionamentos, saúde física, saúde mental, produtividade, vida em sociedade, prazer, descanso, trabalho. Nunca ouviu que “fulano ou fulana teve problemas por ser muito estressada”? É bem por aí.

Em resumo, o estresse é contra a vida. Não é um resfriado que dois ou 3 dias de repouso e alguns comprimidos resolvem, é algo muito mais grave e profundo e que precisa da sua atenção.

Nas organizações já é percebido como um agente comprometedor do desenvolvimento organizacional. Pessoas comprometidas pelo estresse não produzem bem, não são criativas, tem dificuldades de relacionamento, afastam-se por problemas de saúde, tornam o ambiente carregado, tem resiliência baixa, são ansiosas, o estresse é contra os negócios de qualquer organização. Não é à toa que a maioria das empresas de treinamento recomendam aos colaboradores das organizações que possuam atividades redutoras do estresse.

Na vida privada o estresse torna o convívio pesado, igualmente improdutivo, pouco prazeroso e nos casos graves destrói até os indivíduos pela somatização em problemas cardíacos, de pressão, neurológicos como o avc e outros colapsos resultantes.

É um problema muito maior do que muitas pessoas ainda percebem-no.

Por que o estresse é o resultado de um mecanismo inteligente?

Porquê é um dos avisos mais graves que há algo errado na condução da vida do indivíduo e que se este algo não for corrigido, a vida tenderá ao colapso. As consequências do estresse em constÂncia, mais do que queda de cabelos e taquicardia, entre outros já mencionados, podem ser as seguintes:

  • Hipertensão;
  • Disfunção Erétil;
  • Histeria (mudanças bruscas e descontroladas de humor);
  • Vitiligo;
  • Espasmos musculares;

Imagine um indivíduo que esteja trabalhando 15 ou 16 horas todos os dias durante um longo período de tempo. Não haverá espaço em sua vida para o descanso, para relacionamentos, para o convívio, para o amor, prazer etc… Este indivíduo está vivendo contra o seu próprio desenvolvimento e do ambiente que o cerca. Como a vida, naturalmente, responde à esta forma de viver através de seus mecanismos?

Pense analogamente. Antes do motor de um veículo fundir ele dá sinais, a temperatura aumenta, o veículo começa à ter um desempenho diferente saindo do seu estado de equilíbrio. O condutor do veículo percebe que algo está errado, há um estresse à ser corrigido ou uma exigência de desgaste iminente e fatal. Se este desequilíbrio não for interrompido, o motor funde por desgaste e se perde

As consequências mencionadas acima respondem sua pergunta. E a busca por equilíbrio não se resume apenas em não se estressar, cara: está em realmente não seguir um ritmo de trabalho insano a ponto de gerar tais questões.

Mas vamos ser sinceros: dá para fazer isso, de verdade? Dá para não se estressar tanto trabalhando em um escritório com muita gente, em uma cozinha movimentada, ou mesmo em um comércio? A resposta é a mesma que as causas dos estressores, que falamos lá em cima: depende. Existem ambientes e ambientes, não é uma resposta tão simples para muita gente. Ainda assim, vamos ajudar.

Como prevenir o estresse?

Antes de entrarmos nessa parte, cabe ressaltar um ponto importante: todos, TODOS, passam por estresse na vida. Alguns mais, outros menos. Logo, as dicas servem tanto para o cara que não sabe mais o que fazer, como aqueles que já tomaram o primeiro susto com o problema, e agora querem buscar uma saída antes que piore.

Para se prevenir do estresse excessivo, veja os pontos a seguir. Observe-os com atenção, e aplique de forma ativa no seu dia a dia. E aos poucos, hein: não adianta querer fazer tudo de uma vez, pois na primeira crise de estresse no trabalho, a vontade de jogar todas as alternativas pro alto não serão nada proveitosas. É capaz até de vir reclamar com a gente.

Mas fica tranquilo, que não vai ser assim, temos umas boas dicas aqui. Eu já falei de dar um pulo numa sauna de vez em quando?

Reflita sobre as situações estressantes

O que anda te estressado além do habitual? Está começando a sentir-se realmente mal por um fator estressor? Reflita sobre isso, para encontrar alguma forma de tal fato não prejudicar tanto sua vida. É como dizem, tudo depende da forma como lidamos com as coisas: às vezes pode ser complicado, mas vale a pena tentar enfrentar de um jeito melhor para cuidar da sua saúde.

Só que não adianta fazer essa reflexão exatamente no ambiente que está lhe fervendo a cabeça. Nessas horas, caso não tenha um apoio clínico de um terapeuta, como mencionamos antes, busque ambientes que lhe permitam essa paz.

Uma caminhada em ambientes sossegados em sua vizinhança é um bom meio de arejar a cabeça e buscar respostas mais claras para aliviar o estresse. Se caminhadas não forem o seu forte, vá para lugares que prezam pelo relaxamento e descanso, ou apenas descarregar energias.

Artes marciais e natação são boas pedidas para quem gosta de descarregar estas energias de uma vez só, ajudando a equilibrar o corpo para dias mais estressantes. Um spa também é um bom ambiente para isso: mais do que saunas e suas variantes, ambientes do tipo são direcionados a todos que buscam um ambiente tranquilo e longe dos locais que levam aos picos de estresse.

Independente de onde prefere o seu relaxamento, é importante que não deixe as origens do estresse de lado, meu amigo. Caso contrário, o descanso, por mais que ajude a aliviar o estresse, não será pleno quando estiver em uma situação extrema. E a ideia aqui é que você encontre as respostas para tal, certo? Não exatamente fugas.

Outra saída muito boa é simplesmente cuidar bem de sua saúde.

Potencialize sua saúde

Nosso corpo precisa de tanta manutenção e cuidados quanto uma máquina, cara. Parece sacanagem nos comparar com robôs, mas a ideia de que precisamos de cuidados com frequência para não gerar problemas ao corpo são tão diretos quanto tirar aquela poeira ou aplicar um óleo de motor.

E parando para raciocinar um pouco, nossos reparos são até mais complexos do que um robô. A alimentação precisa ser bem cuidada, os exercícios físicos ajudam a não enferrujar, e mesmo o descanso deve ser bem valorizado, para “recarregar as baterias”.

Essa última vamos falar daqui a pouco, mas para todos os demais aspectos da saúde, tudo deve ser levado em conta para aliviar o estresse, e ainda garantir um futuro ativo daqui uns anos. Ou você não gostaria de ser um daqueles mestres lendários dos filmes de artes marciais, que quanto mais velho, fica mais forte?

Para facilitar esses cuidados em si, vamos listar direito esses cuidados e “manutenções” que o corpo precisa para ficar em dia consigo mesmo, e de quebra aliviar o estresse.

Alimentação Balanceada

Os estressores que mencionamos antes tem uma função fisiológica muito perigosa: a liberação de cortisol, um hormônio comum em situações de risco, que tornam o corpo mais preparado para reações rápidas, mas com o custo de tornar o mesmo mais cansado. Acontece que, em situações de estresse, o cortisol é liberado de um jeito descontrolado, fazendo com o que o corpo não sustente, e cause todas aqueles sintomas e consequências que mencionamos antes.

Além de realizar as atividades que mencionamos antes, a saída ideal para evitar a produção excessiva de cortisol nessas áreas é estimular a produção de outros hormônios, o extremo oposto na verdade: serotonina, dopamina, oxitocina, e endorfina. A oxitocina e dopamina conseguimos em atividades prazerosas, como atividades físicas, sexo ou mesmo risadas, que já vamos falar adiante.

Quanto aos demais hormônios, estes podem ser conseguidos com uma boa alimentação, e que seja mais constante do que aqueles lanches rápidos, cheios de gordura, e que não fazem um efeito tão positivo no corpo do que ficar mais pesado com o tempo.

Aqui estão alguns exemplos de medicamentos que estimulam a produção de hormônios do bem estar:

  • Banana;
  • Canela;
  • Peito de Peru;
  • Maçã;
  • Iogurte;
  • Kefir;
  • Açafrão-da-terra;
  • Peixes.
  • Mel;
  • Abacate;
  • Trigo;
  • Chocolate.

A lista vai bem além, mas com estes itens, você já consegue pensar em pratos para o café da manhã, principalmente, e já começar o dia bem humorado. Uma boa alimentação é o segredo para se manter livre de estresse, por que mais do que ficar “saudável”, comer com esse objetivo em mente torna o corpo menos pesado, mais ativo, e por consequência com a cabeça mais tranquila para pensar.

Exercícios físicos constantes

Por que você acha que os caras que praticam caminhadas, artes marciais, academia – crossfit? – são tão animados em trazer mais gente para seus ambientes acolhedores? Um exercício bem feito, que lhe tire do sedentarismo mas não te arrebenta de cansaço, traz uma boa dose de endorfina e dopamina que o corpo precisa para aliviar o estresse.

Na real mesmo, atividades físicas são necessárias para qualquer pessoa, seja por estética, para diminuir a irritação diária, ou por hobby. Porém, quando o foco é acabar com o estresse constante, o ideal é buscar pontos específicos nos exercícios. Quer dizer, nem todo mundo fica relaxado esmurrando um saco de areia até cansar, e ainda assim ficar irritado.

Eis algumas alternativas de exercícios que podem ser interessantes para quem deseja aplicar os exercícios como parte das práticas para acabar com o estresse. Comece devagar, e vá aplicando aos poucos.

  • Exercícios que estimulam a respiração – Corridas podem ser o mais conhecido e aplicado, mas por vezes, um exercício mais parado, e que explore o uso do diafragma, vai te ajudar a aliviar o estresse mais do que opções pesadas;
  • Alongamentos simples – Tem quem goste de partir para algo ainda mais zen, como yoga ou pilates, mas vá apenas se quiser, viu? Alongamentos diários, quando acorda, ou depois de trabalhar, ajudam a relaxar o corpo. É como uma mensagem para o cérebro, avisando que pode descansar e sair do “modo de sobrevivência”.
  • Corridas leves – Caminhadas diárias de 10 minutos fazem toda diferença no dia a dia, trazendo benefícios além do estresse. Maior agitação para o dia a dia, elimina impurezas pelo suor, além de mais concentração, são apenas alguns dos pontos a se destacar.

Relaxe com risadas

Risadas são uma boa forma de liberar endorfina e principalmente serotonina, hormônios relacionados especificamente ao relaxamento e ao bom humor. Só é bom lembrar que, para funcionar, precisa ser espontâneo, então se você não gosta de determinado tipo de comédia ou certos sensos de humor, a técnica não vai funcionar para aliviar o estresse. Pelo contrário, vai deixá-lo entediado, quando não mais estressado.

E não venha com essa que você não tem senso de humor. Todos nós temos, alguns mais ingênuos e simples, outros mais ácidos e polêmicos. Além do mais, nem toda risada a gente tem com grupos artísticos ou humoristas solos, certo? O dia a dia com a família, com os amigos, com a namorada… Todos eles podem trazer aqueles momentos lembrados com carinho e com humor.

Isso fica melhor ainda em ambientes que oferecem um pouco mais de tranquilidade nessas horas, como falamos lá em cima. Um spa, por exemplo, é bem sossegado, inclusive para boas risadas.

Sexo é bom também

Uma das piores consequências de quem sofre com os excessos da ansiedade é a disfunção erétil. Se bobear, uma das causas do estresse seja justamente a falta de virilidade, de não conseguir relaxar o bastante, etc. Quanto a isso, uma coisa é certa: você precisa se permitir relaxar, cara. E especificamente no sexo, é legal que essa permissão seja a dois.

Aliás, o apoio da parceira é importante nessas horas. Quando nos estressamos muito, uma boa ideia é desabafar, sem pesar a mão na questão, com quem amamos, deixando um pedido sincero de ajuda. Qualquer coisa que fizer a partir daí será um pouco mais fácil, já que não está segurando tudo nas costas.

Sabe aqueles exercícios físicos, de caminhadas, alongamentos e tudo mais? Fica melhor quando feitos a dois. Sair com a namorada para qualquer lugar que desejam, de um passeio simples até aquele jantar romântico, ajuda também.

O segredo aqui é fazer com que o corpo de fato relaxe, para que no sexo propriamente dito, as tensões do dia não pesem na hora, e o ato ajude a liberar hormônios como a serotonina e principalmente a ocitocina, responsável especificamente pela sensação de prazer.

Para aliar bem as atividades sexuais, não se acanhe em cozinhar para ela, ou melhor, para os dois, ou tentar pequenos jogos entre si. A intenção, sempre, é aumentar a intimidade, e quando se aumenta a mesma no casal, melhor fica o sexo. E se essa parte fica melhor… Entendeu, não é?

Valorize seu descanso

Esse é um fator importante não só por conta do estresse, mas também por causa da dificuldade de enfrentar o dia a dia quando temos noites de sono ruins ou muito curtas. O sono é um fator importante não apenas para “recarregar as baterias”: existem uma série de hormônios e atividades cerebrais que só são efetivas durante o período de sono.

E mais do que descansar por si só, é um momento de reajuste do organismo para uma série de atividades. Um dos efeitos nocivos da falta de uma boa noite de sono, causada pelo estresse ou não, é justamente a dificuldade de memorização e de buscar lembranças, pontos que se relacionam especificamente com o estresse.

Valorizar o período de descanso, além de acabar com os períodos intensos de irritação, também permitem maior concentração bom humor, e melhor raciocínio também. Aquela história de “6 a 8 horas de sono” é verídica, e definitivamente comprovada.

Aqui vão algumas dicas para tornar o seu sono melhor, mesmo em períodos caóticos em que o estresse é inevitável.

  • Coma melhor, se exercite, e valorize a intimidade – Já falamos de tudo isso mais acima, e todas elas fazem do seu descanso realmente mais efetivo e tranquilizante;
  • Crie uma rotina de sono e se atenha a ela – Rotinas de sono significam ter um horário certo para dormir, um certo para acordar, e dentro das horas de sono que falamos acima. Separe pelo menos um dia da semana para dormir mais cedo, ou acordar mais tarde, para descansar mais. Só não transforme a exceção na regra;
  • Mantenha o ambiente de sono limpo – Isso inclui as roupas de cama, cobertores, travesseiros, e o próprio quarto. Se não fizer, não reclame caso acorde alérgico, com problemas respiratórios, e outros problemas que vão te deixar estressado ao longo do tempo;

Mantenha-se confortável – Por fim, para tornar seu descanso mais viável, a última dica é ter uma boa cama, um bom colchão, um bom sofá-cama talvez… O importante é que o local de descanso seja confortável o bastante para garantir o seu descanso com eficiência. Sim, investir num colchão é caro, então escolha bem.

Faça tratamentos relaxantes

Não existem medicamentos específicos para o estresse. Quer dizer, até existem calmantes naturais de efeitos homeopáticos, podem ser uma saída; mas elas não são, nem de longe, a solução. Isso porque a origem do estresse não é tratada adequadamente, então nem mesmo esse tipo de medicamento consegue dar conta. E não, não vamos entrar nos ansiolíticos e antidepressivos pois eles não são solução. Estes são direcionados para outros tipos de problemas de origem psicológica.

É importante buscar um médico e ver qual é o melhor tipo de tratamento. Só busque algum tipo de medicação com acompanhamento de um psicólogo, principalmente se os sintomas já estiverem em um estágio avançado. Depressão, crises nervosas e outros tipos de doenças dessa natureza dependem de medicamentos, porém mesmo eles devem ser temporários.

Além de aproveitar as dicas acima, é importante saber quais são os agentes estressores, sejam eles internos ou externos. Nem todo mundo consegue eliminá-los ou criar uma resistência pessoal maior em relação a eles, por isso, o estresse excessivo acaba agindo dessa forma. Separe um tempo de verdade para fazer essas análises mais profundas, e mude de verdade sua vida.

Se a sua questão é realmente buscar ambientes que sejam livres dessas angústias e estresses do dia a dia, um spa é uma ótima sugestão. E fica tranquilo: o ponto aqui não é que você fique “lindo e maravilhoso”, como a ideia do spa costuma sugerir – isso, aliás, é inteiramente com você.

O que oferecemos em um spa é um ambiente que te permita ficar à vontade, isoladamente ou trocando ideias com quem quer fazer o mesmo. O spa para homens que desejam relaxar traz restaurante, locais para dormir, e ambientes que te permitam relaxar sem qualquer tipo de preocupação.

Você pode aliviar o estresse de várias formas, buscando saídas por conta própria, com acompanhamentos ou ambientes que permitam esse sossego. Mas de qualquer forma, é importante que faça tais reflexões, encontre essas saídas, e dê a reviravolta na vida antes que ela, e seus nervosos, façam isso por você. Ou contra, nunca se sabe. Valorize sua saúde, meu amigo, e até a próxima!

Veja esta reportagem sobre o estresse (12:46):

Fontes:

http://trainerbr.com.br

http://www.medicalnewstoday.com/articles/145855.php

2018-10-28T21:32:57+00:00

Sobre Nós

Acreditamos que todo homem mereça ter um momento de relaxamento e revitalização ao longo da semana. Por isso, criamos o SPA urbano para homens com ambiente estritamente familiar e tradições orientais.