fbpx

Ofurô Quente – Origem, utilidades e benefícios

O ofurô é um dos banhos mais sofisticados e conhecidos que temos aqui no Brasil. Assim como a Ducha Oriental, suas origens estão lá no Japão, com toda sua história, técnicas e regras de etiqueta que são tradicionais a esse povo. E saber seus detalhes fazem com que o momento seja ainda mais relaxante, prazeroso e benéfico. Isso aí, nada de deitar apenas numa banheira quente e pensar que está em um momento chique.

Mas antes de entrarmos em detalhes nesse aspecto, cabe ressaltar que banhos quentes e suas tradições já existem há bastante tempo, e em muitos lugares, então não precisa limitar-se apenas às opções orientais. É o seu jeito de relaxar, certo?

Dito isso, vamos entender como e porquê o ofurô é tão bem valorizado, e de certa forma tem seu fetiche por essas terras de cá.

Características gerais do Ofurô

O ofurô poderia ser resumido como um banho em uma banheira quente e mais profunda que os modelos ocidentais e mais tradicionais. A exceção, contudo, é que suas características são ainda mais específicas.

Por exemplo, as banheiras deste procedimento são mais fundas que uma tradicional, e menos compridas também. Isso faz com que o usuário não deite na banheira, como costuma acontecer, mas sim sente, com a água cobrindo até a altura dos ombros.

Os materiais também são uma característica bem importante no ofurô. Não se utiliza modelos de alvenaria, com suas formas projetadas em madeira, acrílico, fibra de vidro, ou ainda alguns tipos de plástico. A água é aquecida, e pode ser adicionados alguns aromatizantes ou outros tipos de elementos, para tornar a sessão ainda mais relaxante.

A diferença dos ofurôs e das banheiras mais tradicionais, ou até mesmo de uma sauna ou uma ducha oriental, é que tanto os processos como as funcionalidades deles são bem diferentes.Quer dizer,você pode relaxar muito bem nos três procedimentos, mas os demais benefícios que elas oferecem são diferentes, e de certa forma para públicos diferentes também.

Pense que nem todo mundo dispõe de tempo para tomar uma ducha oriental, por exemplo, ou que nem todo mundo pode ficar numa sauna por questões de saúde. Por isso tais opções são importantes em um mesmo local, como os spas se propõem, por exemplo. E o ofurô se destaca justamente por combinar aspectos que seriam considerados arriscados de uma forma muito eficiente.

Aposto que achou esquisito ver essa imagem ao invés da banheira funda, quente e com pétalas, não é? Bem, esses fatores existem, porém não são necessariamente os mais importantes. Mais do que uma parte “romântica”, por assim dizer, o ofurô é uma parte literalmente natural da história japonesa, criada para manter o equilíbrio e a prevenção consigo mesmos e a natureza que os cercam.

A Origem do Ofurô

O ofurô e o sentô, a ducha oriental, partilham de origens similares. Enquanto o segundo está mais relacionado aos monges budistas e suas ações centenárias, o ofurô está mais ligado a um lado aristocrático, e maior do que isso, a própria natureza do Japão.

Como é bem conhecido por muita gente, a terra do sol nascente é conhecida por seus efeitos naturais intensos: tsunamis, furacões, e uma atividade vulcânica enorme. Este último, em particular, criou mais pontos interessantes para os japoneses do que riscos: a quantidade de balneários naturais é enorme, e não é por acaso que os banhos nessas regiões se tornaram populares.

O Ofurô, especificamente, surgiu em meio a essas descobertas. Não que eles já não conhecessem antes, vide os monges budistas, mas foi no período Edo que elas se tornaram mais evidentes. Uma das cidades mais proeminente com as chamadas águas sulfúricas, que alcançam altas temperaturas devido a intensidades do vulcões, é Hakone, próxima a atual Tóquio.

Por ser um ponto de passagem nas viagens do Shogun, Hakone ganhou muito destaque por ser tanto o descanso do Shogun, como residência fixa de muitos aristocratas desse período. A prática de banhar-se nessas fontes termais naturais pouco a pouco tomou outros pontos do Japão, e suas variações, como os sentô, também tomaram forma, isso já na Era Meiji.

E como os ofurô surgiram, especificamente? Curiosamente, não foi por um japonês. Apesar dos banhos quentes serem populares, foi um médico alemão que transformou as propriedades quentes das águas naturais japonesas em algo terapêutico e de fato relaxante.

Baelz, Balneoterapia e o Ofurô moderno

Erwin Baelz foi o responsável por descobrir as possibilidades terapêuticas das águas termais japonesas, e dar o caminho para esse ofurô que conhecemos hoje. Vindo em uma época que a própria Alemanha ainda não existia, Baelz fixou residência no Japão, e foi responsável por muitas contribuições a medicina local, inclusive a água termal como.

Desde 1884, Baelz estudou esses balneários naturais a fundo, não apenas na cidade de Hakone, como outro grande ponto na região, Kusatsu. Com seus estudos, ele passou a recomendar que esse banhos quentes, no tempero e temperaturas corretas, poderiam ajudar no tratamento de enfermidades, e o sucesso foi tão grande que ele passou a lecionar e direcionar seus estudos para novas gerações, no que viria a ser a Universidade de Tóquio.

O ofurô passou não apenas a ser uma opção de relaxamento, como hoje também é um tratamento excelente para diversas doenças. Mais adiante falamos de algumas delas, só para ter uma noção do quanto essa técnica pode ser ampla.

Tipos de Ofurô

spa well-being ofurô quente tipos

Embora a origem do Ofurô seja mais ligada às fontes termais, hoje em dia não temos apenas uma versão quente da mesma, por assim dizer. Além do usos tanto em versões quentes como frias, o ofurô possuem outros tipos de aplicações hoje em dia além da versão mais popular. Vejamos em detalhes.

Quente – É o uso mais popular e conhecido, que deu origem a todos os demais. Basicamente, o usuário fica em uma quantidade determinada de tempo em uma banheira quente, entre 36º e 40º C, sendo esta aquecida de através de pedras, que podem ser carvão, ou algum outro tipo. Podem ser adicionados outros componentes, para tornar o momento ainda mais agradável.

Frio – Ao contrário do que parece, não chega a ser uma imersão em águas geladas. Mas sim a combinação do ofurô tradicional com o Sentô, a ducha oriental. Antes de entrar na banheira, é tomado um banho gelado, o que potencializa as suas funções.

Os tipos a seguir não chegam a ser subdivisões ou variações dos descritos acima, mas especificam os locais em que estão instalados, o que pode afetar os resultados de certa forma. vejamos alguns bons exemplos.

Jardim – É um lugar pouco ortodoxo para os padrões ocidentais, porém mais próximo das práticas originais do que imagina. Como os ofurôs surgiram basicamente de balneários naturais, em locais, abertos, ter um ofurô em um jardim é válido quando tem um espaço amplo, e deseja combinar a temperatura da banheira com a do ambiente. Tenha cuidado apenas com o choque térmico. Mais adiante, nos cuidados a serem tomados. Vamos entrar em detalhes mais adiante, na seção de cuidados.

Banheiro – Para casas, é a escolha mais discreta e também uma das mais comuns. O local precisa ser adaptado para que não se misture o banho convencional com o Ofurô, ou mesmo expandi-lo se for o caso. São os melhores ambientes tanto pelo fato de já serem parte do ofurô naturalmente, como oferecer mais condições para seus usos terapêuticos.

Sótão – Sótãos não são muito comuns para muitos donos de casas por aí, ao menos aqui no Brasil. Você pode considerar essa opção tanto para os ditos cujos, como aquela sala mais afastada que nem usa para nada, e que pode ser devidamente isolada. Um ofurô desse tipo retém todas as características de um instalado no banheiro, o que pede tanto por adaptações no espaço.

Sacadas – Mais comum do que o sótão, é uma boa opção para quem gosta de um pouco de refino, por assim dizer. Só é preciso cuidado quanto a exposição nestes locais, da mesma forma que os jardins. Em sacadas, o ofurô pode ter um equilíbrio ainda maior por fatores como o vento, por exemplo, então avalie bem.

Qual a diferença?

Essencialmente, não há grandes diferenças entre os tipos mencionados acima. A aplicação do ofurô e os benefícios que ele oferece são os mesmos em qualquer ambiente. A grande diferença nesses casos é como estes locais podem tornar as sessões mais curtas, mais longas, ou mesmo mais relaxantes. Acho que ninguém gosta de ser espiado em um ofurô mais ao ar livre, certo?

A questão aqui trata-se mais de escolhas e praticidades. Caso você decida construir uma banheira de ofurô em casa, é bom ter tanto o local como encanação e outros detalhes pertinentes preparados. É um custo alto, mas pode ser prazeroso para quem gosta do conforto do lar.

Ou… Caso não queira ter esse trabalhão todo, ou não quer esperar tanto tempo para usar um aparato tão prático para a saúde, pode buscar a solução em um spa que lhe relaxe, e que pode aproveitar outros tantos recursos eficientes para seu bem estar.

Como funciona o Ofurô?

Com tudo que já mostramos até agora, o Ofurô até lembra uma simples banheira quente, na qual fica por um tempo específico com alguns outros elementos, e sai, não é? Tipo uma versão líquida da sauna. E por isso deixamos para explicar de forma mais específica agora, para que veja não apenas as completas diferenças desses outros métodos, como não pensar que se trata de apenas uma banheira quente.

O ofurô, de forma geral, funciona da seguinte maneira.

  1. O ambiente deve ser devidamente higienizado para que o usuário possa utilizar das águas termais do ofurô com segurança. Em locais fechados, é importante que ele seja isolado durante a utilização, e em locais abertos, que seus arredores tenham algum tipo de marcação para separar quem faz uso do local ou não. Em spas, o ambiente é preparado com antecedência e devidamente isolado de outros locais de descanso e relaxamento.
  2. Com a higiene realizada, a água é aquecida para o início do banho. A temperatura deve ser no máximo 40º C, que pode ser aquecida tanto por ebulidor elétrico, aquecedor a gás, ou como na forma mais tradicional e antiga, por carvão, esse apenas por ambientes devidamente autorizados. Caso haja opções de aromatizantes e outros elementos para adicionar ao ofurô, é feito aqui.
  3. Após a água ser totalmente preenchida na banheira e aquecida, o usuário deve tirar quaisquer impurezas do corpo com o pré-banho. Banha-se em um chuveiro frio, sem necessariamente ensaboar-se. Cabe dizer que as roupas devem ser guardadas em um local fora do banheiro. Em spas, costuma-se ter uma sala própria com armários para guardar suas roupas.
  4. Com tudo arrumado, e devidamente higienizado, é só se sentar com cuidado no ofurô. Apesar das medidas serem as mesmas para todos os modelos, os designs podem mudar bastante, então tenha cautela ao sentar.

O tempo de banho no ofurô varia para cada pessoa. O normal é que seja entre 30 e 35 minutos, para uma pessoa adulta e sadia. Calma, não se incomode com esse último detalhe: como se trata também de um tratamento terapêutico, é importante prestar atenção nas indicações clínicas, sobretudo se existem algumas limitações. Já já explicamos isso melhor para você,

Não confunda Ofurô com Banheira Quente!

Deixa eu adivinhar: ainda não vê diferenças entre o ofurô e a banheira quente, certo? Quer dizer, não muitas, já que elas se tornaram mais claras em seus detalhes. Mas é importante que essas questões mais específicas fiquem bem claras em sua cabeça, não apenas pelos benefícios, mas pela aplicação também. Por que tenho certeza que você tentar emular algo do tipo em uma banheira de sua casa não vai ser a mesma coisa.

Ofurôs tem não apenas particularidades de uso e preparo, como toda uma tradição por trás. São quase 200 anos de uma técnica bem trabalhada e valorizada no mundo inteiro, e as descobertas que o doutor Baelz trouxe em termos de qualidade de vida não são a toa.

Para quem não pode ficar em uma sauna, e a ducha oriental é um momento de relaxamento por si só, o ofurô é um tratamento completo, bem acompanhado, e que tem até seu lado romântico, porém muito mais destacado pela ficção – pense nele como alto menos exagerado, meu amigo.

Benefícios do Ofurô

O ofurô, como já bem ressaltamos aqui, é cheio de benefícios para o corpo a longo prazo, não só como uma maneira de relaxar, mas de tratar algumas enfermidades de forma direta e tranquila também. Nem todos ficam tranquilos de recorrer aos métodos tradicionais de tratamento e continuar passando pelas mesmas situações, certo?

Se ficarmos muito nessa parte, saber os benefícios do ofurô já vão lhe deixar mais consciente na hora de usá-lo. Vamos a eles.

Potencializa a circulação sanguínea – É um dos benefícios mais diretos. Imerso em água quente por um período relativo, a temperatura do ofurô dilata os vasos sanguíneos, ajudando em sua circulação e na prevenção de uma série de doenças, como a hipertensão, por exemplo.

Desintoxica a pele – Para quem anda preocupado com uma pele envelhecida pelo dia a dia, o ofurô é um bom investimento nessa parte. Com os poros da pele abertos, as impurezas saem com mais facilidade, e por consequência deixam a pele respirar melhor.Você não vai ter problemas com micoses e outras doenças do tipo com banhos de ofurô frequentes.

Estimula a atividade celular – O corpo não se agita a toa quando está no ofurô. A água quente promove o metabolismo, e a maior atividade celular não apenas mantém o corpo jovem, como previne doenças causadas pelo acúmulo de radicais livres. O câncer é um delas.

Alivia dificuldades intestinais e renais – É na verdade uma consequência direta da boa circulação. Quando nosso sangue flui melhor, órgãos como rins e intestinos funcionam com mais facilidade, tornando seu corpo mais ativo uma vez que eles são responsáveis pela “filtragem” do corpo, vamos dizer assim. Só não exagere na comida pesada, senão não ajuda a equilibrar.

Trata doenças articulares – O ofurô é uma das melhores formas de tratamento contra artrites, artrose, reumatismo e outras doenças e inflamações ocorridas nas articulações. As altas temperaturas, além de aliviar as dores, funcionam como anti inflamatórios, relaxando os pontos de dor enquanto o restante do tratamento faz o restante.

Além de todas essas ótimas vantagens, ainda existem outros benefícios que são recebidos com a inclusão de alguns componentes no ofurô. É aqui que aquele aspecto mais exagerado do ofurô – fetiche, talvez – ganha mais forma. Sabe aquelas pétalas na banheira? Então, elas meio que começaram aqui.

Vejamos alguns exemplos.

Pêssego – Sua essência possui propriedades calmantes, o que é ótimo para quem busca o ofurô como uma forma de aliviar o estresse. Também conta com vitaminas A, B e C, além de fibras.

Cacau – Adicionar cacau às águas do ofurô possui efeitos estimulantes, o que facilita a recuperação do organismo para quem anda com estresse constante e fadiga generalizada. O cacau também potencializa os efeitos hidratantes a pele, mas essa não precisa ser sua prioridade.

Vinhos – Para quem busca um tratamento a longo prazo, pode adicionar os vinhos ao ofurô. Suas propriedades antioxidantes ajudam a potencializar as atividades celulares, e de quebra mais vitalidade ao corpo.

Isso por que estamos citando apenas alguns exemplos. Ah, e aquelas flores que aparecem com frequência nas imagens de ofurô por aí também não são a toa. As chamadas Ylang ylang também são conhecidas como flores do amor, por liberarem uma quantidade enorme de adrenalina no corpo quando imersas em água quente. Para os caras que procuram um aditivo diferenciado para certas atividades, até que a ideia deixa de ser clichê.

As Regras de etiqueta e cuidados para uso

Assim como qualquer outro tipo de banho público, o ofurô possui suas normas de higiene, segurança e etiqueta para quem não quer dar mole nesses lugares. Elas não se diferem tanto de outras práticas em saunas, porém não deixam de serem essenciais para um bom uso, e ainda mais relaxante.

Hora de conferir todas elas, e como tomar os devidos cuidados.

  • Nunca leve bebidas de qualquer tipo para o ofurô! – Ao contrário do que parece, levar bebidas alcóolicas para beber à beira de um ofurô não é apenas proibido, como também perigoso. Com o corpo já acelerado devido a alta temperatura, os efeitos do álcool são mais rápidos o organismo, o que significa ficar mais sonolento em um ambiente quente, por exemplo.
  • Não leve nada elétrico ao local do banho – Por razões óbvias, meu amigo. Você está em um momento em que precisa aliviar a cabeça um pouco de toda essa loucura do dia a dia, desligar-se de celulares, computadores e quaisquer outros dispositivos enquanto usa o ofurô é algo a se fazer não apenas por ética, como por praticidade também.
  • Leve apenas a sua toalha para o ofurô – E sempre limpa e bem guardada separadamente. O ofurô precisa ser sempre um ambiente bem limpo e isolado do restante do local para que todos os benefícios sejam recebidos corretamente. Isso sem contar a segurança para você mesmo.
  • Respeite os seus próprios limites – Isso é essencial para fazer do ofurô um tratamento perfeito. Por estar exposto a um ambiente quente de maneira constante, é muito importante que saiba quanto tempo pode ficar na banheira, qual a temperatura adequada, entre outros detalhes.
  • O Ofurô não é recomendado para… – Pessoas que possuam problemas de pressão alta, ou metabolismo acelerado. É essencial buscar auxílio médico antes de usar o ofurô, para saber quais os seus limites. Um dos riscos mais evidentes do ofurô é a hipertermia, em que o corpo atinge temperaturas excessivas, e prejudicando diretamente diversos órgãos. Após atingir o tempo demarcado, saia da banheira.

E por fim, mas não menos importante, respeitar o tempo de uso e o espaço de outras pessoas durante o ofurô. É um momento de relaxar a mente, e este como outros ambientes do tipo pedem por um clima agradável e tranquilo. Em um spa, há outros tantos lugares que tornam a convivência ainda mais interessante,

O ofurô é uma maneira perfeita de relaxar tranquilamente, e de quebra tratar a saúde de várias formas. Com a segurança adequada e respeitando seus limites, a “banheira japonesa” vai ser parte constante do seu dia a dia. Até a próxima!

Fontes: http://www.culturajaponesa.com.br/

http://dc.clicrbs.com.br/sc/estilo-de-vida/noticia/2013/05/ofuro-muito-mais-que-um-simples-banho-um-aliado-na-prevencao-e-cura-4148386.html

2018-11-28T14:29:00-03:00

Sobre Nós

Acreditamos que todo homem mereça ter um momento de relaxamento e revitalização ao longo da semana. Por isso, criamos o SPA urbano para homens com ambiente estritamente familiar e tradições orientais.